17 de nov de 2010

Desabafos



Aviso: O post a seguir tem minhas opiniões sobre coisas que me irritam. Uma linha ou outra deve te deixar tiririca da vida, então, se acha que sou ridícula, Problema Teu! Está garantido na Constituição a liberdade de expressão.

- Odeio quando dizem que o Acre não existe.

Se o Acre não existisse, não estaria no mapa. Me irrita profundamente quem cisma em afirmar por A + B que o Acre não existe. Uma coisa é brincar, mas eu estou farta de gente me chamando de estúpida entrelinhas porque eu acredito no Acre, tenho curiosidades para com o Acre e já discuti com professores de Agenciamento por causa do Acre. As pessoas não prestam atenção no Acre por pura idiotice. Vocês sabiam que o Acre foi o primeiro Estado brasileiro a ser governado por uma mulher? Que o Acre ajudou na construção da Companhia Siderúrgica Nacional? Que o IDH do Acre é maior que o da Bahia e do Ceará? E que a TRIP vai começar a voar pra lá?
As pessoas falam que não existe mas na verdade ficam com a mente tão fechada que não deixam informações de lugares legais invadirem suas mentes. Posso estar falando besteira até, mas considero babaca todos que não sabem o que falam quando dizem que o Acre não existe.

- Odeio a mania de paulista achar que é melhor do que todos.

Vou tacar uma bomba atômica em São Paulo, de boa. Falo isso porque a gente não pode fazer um comentário que já vira bola de neve. Qual é a dos paulistas? Vocês precisam se auto afirmar se achando melhor do que todos os outros Estados? São Paulo é uma selva de concreto que só serve mesmo pra Turismo de negócios, desculpa, mas é o que eu acho. Eles não têm uma praia legal (não que as praias do Rio sejam decentes), não tem a calçada mais famosa do mundo, por assim dizer e outra, não tem o maior Estádio da América Latina. Eles não tem pão de queijo e não tem um churrasco maravilhoso, não sabem fazer samba e não tem a linha divisória que divide os dois hemisférios.
Anteontem o Eunhyuk falou de samba e que quer vir pro Brasil pra jogar futebol. Eu disse que iríamos esperá-lo e que ele tinha que passar no Rio também, porque né -.- Pronto, teve que começar a babaquice. "Brasil não é só São Paulo", escrevi, assim como não é só Rio de Janeiro! É claro que eu vou querer puxar um pouco de sardinha pro meu lado, porque eu moro no Rio, mas brasileiro tem mania de tudo criar confusão. Quer dizer, a gente não pode expressar o que pensa porque sempre vai vir um monte de gente querer botar a banca de que paulista é melhor.
Caramba, vivemos em um país onde todos são iguais perante a lei, que ridículo isso! Então quer dizer que se você é de São Paulo, você é mais inteligente, mais importante e mais (desculpe o termo) foda do que todo o resto do país? ¬¬

- Gente que acha que é auto suficiente e quer dar lição de moral em todo mundo.

Cara, se quer mostrar superioridade, enfia uma melancia no pescoço e dance balé russo no Municipal! Tem gente que eu adoro mas se tem uma coisa que não dá pra engolir é quando cisma que sabe mais e que é o melhor por isso. Eu sempre fui muito na minha e sempre abaixei a cabeça quando alguém falava algo que eu não sabia, mas chega uma hora que dá vontade de matar, sério.

- Odeio eventos de anime.

Taí, não gosto, não curto, acho ridículo, babaca, infantil e coisa de gente que tem Síndrome de Peter Pan. Parece um Halloween fora de época. Não dá pra entender. Bom, eles têm seus motivos mas eu não encontro nenhum que explique e que me faça entender por quê se vestem de desenho animado. Sei lá, qual é o propósito de você se vestir como um desenho e agir como um? Você nunca vai ser ele! A não ser que você queira ser ator ou atriz, mas isso não pode influenciar a sua vida inteira, "eu preciso ir vestido de cicraninho de tal pro evento".

- Fãs de K-Pop, em sua grande maioria, são idiotas.

É patético ver que parece que ninguém têm o direito de ser feliz. Artistas são fabricados e dizem que te amam porque precisam do seu dinheiro. Simples assim. Os caras não podem namorar, não podem fumar, beber, tem que permanecer intactos, porque senão surtam. Não estou falando de fãs asiáticas, não, estou falando de fãs brasileiras, mesmo. É ridículo você ver um bando de absurdo do tipo "Ai, fulano tá namorando, tomara que termine", "Fulaninha tem que se afastar do cicraninho, ela é uma pistoleira, isso e aquilo", pelo amor de Deus, né. Até parece que ele vai largar tudo, aparecer na porta da sua casa com flores e chocolates e te propor casamento!

Isso sem contar que nenhum outro artista pode existir na Ásia, né. Porque o que não é coreano, é cópia. Acho que isso me irrita mais do que esse "é meu", de boa. Não pode existir outros artistas bons, só coreanos? Eles esquecem que muitas vezes o próprio K-Pop é cópia, então quem são eles pra chamar de "cópia"? Vocês acham que isso influi no pensamento deles? Eles só ficam verdadeiramente irritados quando é algo que é real, que eles criaram de verdade. Fora isso, as letras das músicas, os ritmos, tudo é criado com base em outros artistas.

O ruim do K-Pop é que funciona da seguinte maneira: "Você é bonitinho, quer debutar no próximo mês?". É sério. Você conta nos dedos as pessoas que são realmente talentosas naquele ramo. Não vamos dar nomes aos bois, mas nos últimos tempos, o que mais têm aparecido é gente sem talento e que a única coisa que tem é uma carinha bonitinha. Se funciona assim, vamos todos pegar o próximo vôo pra Seul, fazer chiquinhas, uma maquiagem neutra, uma roupinha cuti cuti e vão nos chamar para estreiar na semana que vem. Treinamentos de mais de dois anos? É, meio que duvido, com esses grupos novos. Não são aulinhas curtas de dois, três dias que te formam cantor, a não ser que você tenha um talento natural e que precisa ser polido. Que, repito, não se vê mais nos artistas, não só na Coréia do Sul como no mundo.

Não é porque eu gosto de música chinesa, taiwanesa, filipina e tailandesa que vou dizer "Thai Pop é melhor", mas de fato, têm artistas que o povo se recusa a ouvir porque não é coreano, então devem ser cópia e uma boa bosta. Assim como no K-Pop, tem muita gente que tá nessa pela "carinha bonita" e que não canta nada, a voz precisa ser retocada umas vinte vezes pra ficar aceitável. Não nego. Tem grupos na Tailândia que eu não entendo como podem ter estreiado de vez.

- Odeio batata: Se eu estiver comendo, pode ligar para o Papa porque é milagre. Não gosto mesmo, E DAÍ?

- Qual é a de você ter amigos se eles nunca estão dando a mínima pra você? Você sempre passa na casa ou trabalho deles, leva um bombom, vai lá dar um abraço, é legal, muitas vezes desiste do que você planejou meses antes pra vê-lo/a e quando você se magoa com essa pessoa, parece que não pode. Que você é sensível demais e que está vendo coisas. Antes que pergunte, é, não esqueci o que aconteceu no início desse ano e duvido que esqueça tão fácil. A gente sempre tenta agradar e quando a gente se sente mal com alguma coisa, tudo muda. Estou dando graças que conheci essas duas pessoas fofas, que me aceitam como eu sou e não ficam me julgando quando digo estar incomodada com alguma coisa.

- Só falo palavrão quando não encontro nenhuma palavra para substituir, mas ainda assim acho feio falar. Torna a pessoa muito feia. Imagina essa pessoa fazendo uma entrevista de emprego, com 10 entre 11 palavras sendo coisas feias?

- Gosto de pagode e gosto de sertanejo, E DAÍ?

- Durmo com um pelúcia do Stitch que ganhei de aniversário. É proibido dormir com um bichinho de pelúcia?

- Gosto de bancar a bobona sempre que estou com outras pessoas porque passo o dia inteiro séria. Se me odeio por isso? Claro que sim, porque eu acabo sendo boba o bastante. Provavelmente porque nunca tive amigos de verdade, nos últimos cinco anos, com os quais pudesse ser contente. Elas sempre me olhavam estranho e me diziam com o olhar para ser uma pessoa de 21 anos. Talvez por isso não quero vê-las nem pintadas de ouro, hoje em dia.

- Gosto de Turismo mas não viveria dele para sempre. Qual é o problema de fazer um curso que você não conhece gente que faça? Eu gosto de Geologia. Eu amo aprender línguas diferentes, amo aprender sobre a história geológica do mundo e tenho minhas teorias. Não é porque não faço uma faculdade comum que eu deva ser considerada estranha. Estranho pra mim é quem faculdade de coisas que já estão saturadas há anos.

- Gosto de dançar mesmo que pareça uma idiota.

- Ao contrário de muitas pessoas, eu respeito os artistas que eu gosto.

- Gosto de criar muitas coisas mas nunca mostro porque todo mundo acha que sou maluca.

- Não tenho um sonho; tenho vontades. Algumas são maiores que as outras, mas a principal eu sei que nunca será realidade. Não enquanto os governantes desse planeta não pararem de ser cabeças oca.

- Tenho forte tendência à depressão. E isso não é ser "uma pessoa cheia de nhenhenhe", é sério mesmo. Quando as pessoas dizem que estão "deprê" não sabem com o quê estão falando.

- Assisto America's Next Top Model mesmo e acho um barato pra avaliar como cada pessoa se comporta em situações de pressão, confesso. Por isso a foto do início do post é da Kahlen, do Ciclo 4. Ela foi minha favorita de todos os ciclos, pena que não ganhou. E essa foto ilustra muito bem o que é o auto controle. No dia anterior da sessão de fotos, a melhor amiga de infância dela tinha morrido. E ela teve que tirar a foto no fundo de uma cova de 2 metros, no cemitério. Desde que vi esse episódio, ela se tornou a minha visão de auto controle. Sempre que estou a ponto de estourar, penso nela e me recomponho.

- Acho absurdo quando a Escola de Samba ensaia aqui e tipo, é onze e tal da noite, tô cansada, tenho prova no dia seguinte e o recuo da bateria pára debaixo da minha janela. Eu até abstraio, mas é ruim porque depois, um bando de jovens sem noção da realidade ficam fazendo baderna aqui na rua.

- Se você não gosta de onde mora, cata tuas coisas e se manda pro Triângulo das Bermudas. Não importa que seja menor de idade, se não gosta de onde mora, dá teu jeito e concretize teu sonho de ir embora. De gente falando mal do Rio de Janeiro, o mundo está cheio; se você não enxerga através do vidro da violência e do descaso, o que está fazendo aqui? Tome seu rumo e não olhe para trás. Ninguém vai sentir sua falta.

- Eu sinceramente sinto falta dos anos 90, com todo aquela valorização da cultura brasileira. Quantas pessoas conhecem o Hino Nacional? O Hino da Bandeira? Você sabe?
E a música? O que é mais legal, uma coisa como "Com a fé no dia-a-dia encontro a solução" ou "Eu vou te dar um beijo, minha mina" ?

Talvez tenha mais coisas... só sei que tenho que ir pro Teatro da UERJ com a minha avó e nem almocei ainda.

Se você se sentiu atingido, SÓ LAMENTO. O blog é meu e eu me expresso como eu quero.

2 comentários:

Prih_br disse...

Amiga, pode desabafar, esse é seu espaço!
Olha, não sabia muitas coisas do Acre, apenas o lance da azul, mas nunca pensei que o ACRE não existe. e hein! Doidera msm!
Paulista, putz! Trabalhei com uma, que nojo!
Sobre palavrão, penso como vc tbm.
Resumindo, as pessoas querem pq querem bater boca, se vc fala q curte isso, elas criticam, se vc fala q não curte aquilo, elas criticasm. Mas quem disse q estamos aqui para agradar os outros, né? Seja vc mesma sempre.
bjos

Roses disse...

Depois diz que não se expressa bem né dona Deh? ^^

Bom, eu sou ForeverAlone mesmo, então nem tenho muitos amigos pra reclamar (O_O), agora palavrão é uma coisa que em casa fui ensinada a nunca falar, acho que é ser muito chulo.

Roses unnie já teve depressão de verdade então sabe como é, e com esse pessoal que acha que é frescura eu evito conversar sobre isso. Daqui a pouco eu vou embora do Brasil, mas porque se ficar vou depender dos meus pais até morrer pra poder fazer o q gosto =(