3 de ago de 2011

Saudades

"Hoje acordei com uma vontade imensa de te ver. De sentir seu abraço, seu olhar, seu sorriso.
De me sentir bem comigo mesma, de me sentir importante para alguém. De você.


Quando nos encontramos, sinto meu coração bater, bem baixinho, um ritmo compassado de bateria de escola de samba em pleno Carnaval, ansioso por entrar na Marquês da Sapucaí. Mas bem baixo. Ou pelo menos tento fazê-lo baixo.

Ao te ver, é como se voltasse a suar a imensidão do mar e quando você me sorri, sinto as bochechas queimando de um dia de verão.

Quando você me abraça, sinto um arrepio tão grande como quando conquistaram o Pólo Norte. Nunca estive lá. Mas a sensação deve ser a mesma.

Quando abre sua boca para falar qualquer coisa, o resto do mundo se cala e só tenho sentidos para você. Mesmo que seja a piada mais cretina, a cantada mais doce, continua sendo encantador vindo de você.

Não peço muito, peço? Querer você ao meu lado, ouvir de suas estórias, compartilhar das minhas e rir, chorar o que for preciso, mas saber que você estará lá para dividir tudo isso me provoca um breve sorriso.

Em meus breves sonhos, voltamos àquele dia incrível, onde o céu estrelado era o teto de nossa conversa sem rumo. Com os dedos, traçávamos e ligávamos as estrelas, tentando entender coisas da vida que nem o céu poderia explicar. Sentia-me como em um sonho, mas estava acordada; você me contava sobre sua semana, eu sobre a minha, até que abandonamos o vício do cotidiano por alguns momentos e o céu novamente voltou a ser o centro das atenções.

Acordei pensando em você. Em como você me faz sentir bem comigo mesma, sentir o que há tempos achava que não sentia; de me sentir protegida, amada e querida. De me sentir sendo "eu".

Acordei pensando em você... quero te ver.

É pedir muito?"

Aimee Lee

1 comentários:

Elaine disse...

Simplesmente adorei!É exatamente isso que tenho sentido ultimamente.