22 de jun de 2010

Sentir ou não sentir...?



Perdi as contas de quantas vezes me pego assim (como o Yue está, na foto). É estranho vê-lo assim porque Chi-Yue-Han é literalmente Feliz-Feliz-Feliz. Vá ver o significado do nome da criança, se não acredita em mim.

Não aconteceu nada de interessante desde o dia 17. Também, como poderia acontecer? Não tenho motivos pra sair. Bem, até tenho, mas meu motivo se chama Fisioterapia, segundas, quartas e sextas, às 14h. Ultimamente tenho chegado tão cedo que daqui a pouco amanheço por lá. E nem é tão longe daqui de casa, uns 30 minutos, 40 no máximo.
Sábado foi um horror. Eu não conseguia falar uma frase decente naquele curso, minhas pernas estão roxas de tanto que me belisquei. Para o meu desgosto, a minha santa empada dos sábados aumentou de preço e não dou $3.50 numa empadinha nem a pau, por mais que eu adore. Até iria no Subway que abriu, mas até ir, comer e voltar...

Meu estado de espírito está dos piores. Todo dia, pelo menos uma vez por dia, eu faço brigadeiro e como, assistindo "Friends", tentando me animar um pouco. Não sei, sinceramente, como ainda não virei uma bola e saí rolando pela casa. Sábado praticamente passei no meu quarto, tentando resolver a prova da UERJ, desse ano. Meio que gabaritei Geografia e História e isso me dá nos nervos, porque Geologia exige Química, Física, Matemática e Biologia e nem me atrevi em fazer. Eu não lembro a fórmula da velocidade e me sinto uma anta dançando "Tell Me". Certo que faz quatro anos que eu terminei a escola, mas eu não queria um dia constatar que todo aquele desespero foi em vão. Inglês, Literatura e Português, que eu era crânio na escola, fiz menos pontos que em Geo e História. Dessas duas eu só errei uma (sobre Guerra da Chibata), das outras errei umas dez. As Exatas estão lá, rindo da minha cara, apontando e dizendo, com desdém, "Olha que idiota, precisa saber tudo que nós oferecemos e nem se dá ao luxo de pelo menos tentar!".

Quando eu tinha 13 anos, li em um livro que lamentar uma dor passada, no presente, é criar outra dor e sofrer novamente. Nunca li nada tão certo. Porque pensar nessas coisas conseguem me deixar tão mal quanto na época. "Então não pensa!", diz você, mas sabe, não é tão fácil.

Às vezes‎ eu penso que se tivesse abstraído o que eu sentia, se nunca tivesse falado o que eu sentia, as coisas poderiam ser melhores, agora. Minha mãe discorda, acha que eu tenho o direito de dizer o que eu sinto da mesma forma que as outras pessoas. Mas sei lá, acho que teria sido melhor. Eu poderia ter aproveitado mais coisas, certo? Ou talvez não... no mesmo tempo que eu acho que deveria nunca ter aberto a boca pra falar o que eu realmente sentia (em todos os momentos que precisei fazer isso) acho que fiz o certo, porque não é legal mesmo quando as pessoas acham que você não têm sentimentos.

Estou de saco cheio de ouvirem "você precisa ir a um psicólogo" ou "é coisa da sua cabeça". Nunca li algo dizendo que exteriorizar o que você sente seja algo a ser tratado com um psicólogo ou coisa da sua cabeça. Não acho que dizer que está magoada seja coisa da cabeça. A vida segue pra quem magoou. Mas pra quem foi magoada, é algo que dura por um bom tempo, querendo ou não. Você pode ter 80 anos que você lembrará de algo que ocorreu aos 8.

Algo que escrevi no meu mural do Facebook e vou repetir aqui é outra coisa que eu acho super válida: As pessoas podem esquecer suas palavras, mas nunca como você as faz sentir.

Enfim... tentemos nos animar, certo?



Sem comentários...

Rainie Yang - Anonymous Friend

ps: a pior coisa de ficar triste é que a minha voz fica tão legal pra fingir que canto..

2 comentários:

Yayoi disse...

R$ 3,50 a empada? Meu Deus que caro! Se bem que nem sei o preço das coisas por aqui xD

Por que vc ficou se beliscando?

Concordo com sua mãe, vc tem mesmo direito de dizer o que sente assim como as outras pessoas. Ficar remoendo o que sente nem dá em nada, até pode piorar na verdade...

Roses disse...

Nem me fale em estudos, toda vez que eu olho pros antigos cadernos e vejo que já apaguei uns 80% daquilo da memória eu me sinto um fracasso. Mas acho que se você sentar pra estudar você consegue sim, passar em qualquer curso que decida fazer, pelo menos é o que eu tenho repetido pra mim nos últimos dias.

Não esqueça que nem sempre é de um psicólogo que você precisa, só de alguém que ouça seus problemas sem apontar o dedo pra você no fim das contas. Guardar tudo pra você pode fazer mais mal ainda.