24 de mar de 2011

Sumiu?

Oi! Quanto tempo, não? Minha vida têm, literalmente, sido bem corrida, mas como da outra vez, farei um breve resumo de tudo...

Bueno, Marcelo e eu começamos a namorar. Essa semana a gente está relembrando como um papo de bêbados de fome e sono, no ônibus, no ano novo, foi terminar em namoro, e a gente cai na risada. Estávamos juntos há uns 3 meses, e sempre que a gente tentava parar, um dava o braço a torcer e o outro, por consequência, ia junto. No Sábado, a gente foi no Cinema, assistir aquele 'Sexo sem compromisso'; e descobrimos que aquele filme é praticamente nossa estória, só que pelo ponto de vista cinematográfico e sem o sexo. Passamos o filme impassíveis, eu estava ultra tentando me controlar, até que o personagem do Ashton Kutcher comentou que eles nunca haviam terminado porque nunca haviam começado. E isso, mais do que todo o filme, é a cara do Marcelo. E a reação da Natalie Portmas seria a minha. Olhei pra ele tipo 'nossa, acho que eu já vi essa cena antes' e ele disse 'então acho que está na hora de virar o disco'. Eu fiquei meio boba, principalmente quando ele disse que estava me perguntando se eu não queria namorar com ele [é, sou lerda]. Fiquei muito sem ação, e depois, fomos para a praia ver a Super Lua quando ele perguntou de novo e eu aceitei.
Como disse minha mãe, nós já estávamos namorando, só não sabíamos. De uma forma ou de outra, acho que ele é a única pessoa que já me viu de tudo quanto é jeito: feliz, triste, deprimida, hiper, bêbada, tarada, tudo, tudo mesmo, e em três meses. Posso parecer muito chata, mas não me canso de repetir pra ele o quanto gosto dele e o quão importante ele é para mim. Antes de namorado, ele é meu amigo; meu melhor amigo. Conto tudo para ele e ele me escuta. Gosto de estar com ele e gosto de como ele me faz sentir... Ele virou meu melhor amigo, sério mesmo. Geralmente demoro um tempão pra confiar em alguém, mas a gente sinceramente não entende como nos damos tão bem! É bater os olhos e saber o que o outro está pensando ou sentindo. Troca de pensamentos total. Confio nele e ele também confia em mim. ^^



Domingo ele me deu um susto tão, mas tão grande que eu voltei pra casa chorando sem parar. Ele passou mal, teve que chamar ambulância... foi horrível chegar no metrô, ver a nossa amiga parada do lado da ambulância, dizendo que ele tinha passado mal, e depois o garoto todo desnorteado. Eu tremia quando toquei a campainha da casa dele e a mãe atendeu (eu não a conhecia) e não sosseguei até vê-lo na minha frente, na Terça. Eu já tinha assumido um compromisso comigo de que iria ficar cobrando dele tomar o remédio, porque aquele 'tá tranquilo' nunca me convenceu. Ontem, ele tomou o remédio na minha frente e eu achei muito bom, porque aí fico de olho. Não é "ficar sendo chata", não, eu me preocupo mesmo, sendo ou não namorado, assim como ele se preocupa comigo. Ele é muito especial pra mim e eu quero que ele esteja sempre bem ^^


Aniver da minha tia



É, acho que precisamos tirar mais fotos, hehehe


Quanto ao trabalho, semana que vem [quarta], viajo para o congresso, em Brasilia. Esses últimos dias realmente têm me deixado doida. Já estava com idéias de sair depois do congresso que estou cuidando pra Abril, mas depois de médico me chamar de burra e imprestável e uma mulher segunda feira, literalmente, dizer que eu não sei trabalhar, surtei de vez e me demiti. A cara que meu chefe fez foi de partir o coração, SÉRIO. Depois que ele saiu pra recarregar o toner da impressora, minha chefe veio falar comigo, perguntar o que tinha acontecido e tal, e eu acabei confessando pra ela que achava que não estava dando o devido retorno que se merecia, que estava cometendo muitos erros... ela disse que era besteira minha, que ninguém é tão sábio que não erre, que eu estava indo até muito bem, porque quando a Bárbara saiu, o Congresso já estava pela metade e trabalhar Ouro Preto é um tremendo desafio porque já é minúsculo,m nfim. Me pediu para pensar e repensar com muito carinho porque eles estavam gostando muito do meu trabalho. Eu respondi que iria fazer isso e realmente estou, realmente estou. Um lado de mim quer sair, mas por outro, não quero. É uma situação muito complicada porque parece uma batalha interna e fico pensando nos prós e contras...
Tenho conversado muito com a Gaby e o Marcelo quanto a isso e entre outras palavras, eles me dizem pra seguir meu coração, mas ele também está confuso.. Sei que vou deixar esse congresso de Brasilia passar para tomar minha decisão certa.


Bueno, era só pra dizer um 'oi, tô viva'... acho que estou, preciso ir pro trabalho~


Bye bye na ~

3 comentários:

Yayoi disse...

Puxa, Deborah, estou realmente feliz por você ter encontrado o cara certo ^^ E olha só, desta vez vocês assistiram ao filme é? xD *sai correndo*

Ele melhorou? O que ele tinha?

Quanto ao trabalho, olha vou te dizer: você pode ficar o tempo que for aí e ser expert em tudo, mas sempre terá alguém desagradável te dizendo ao contrário só pra chatear, pode ter certeza disso. Acho que você só deve ficar realmente preocupada, a partir do momento que o CHEFE lhe disser alguma coisa, até lá não dê crédito. Tô dizendo isso porque já levei na cara lá no Japão e tem clientes que tbm ousam jogar isso na minha cara, inclusive eu bati boca com uma em dezembro...

E que negócio foi esse do médico te chamar de burra e imprestável? ò_ó Ninguém tem o direito disso, nem mesmo os pais!

"Ninguém pode rebaixá-lo sem sua permissão" - Eleanor Roosevelt

Yayoi disse...

Epilepsia >_< Espero que ele esteja bem.

Entendo, ser chamada de burra dói, ofende horrores, só que, o que acontece, as pessoas tendem a ofender as outras para se sentir superior então para que isso não aconteça, ou pelo menos você não se sinta tão ofendida, tenha mais confiança em você mesma! Tenha plena confiança no que você tem certeza de que faz bem.

Sim, eu sei que não é uma tarefa fácil, mas tbm não é uma coisa de outro mundo ^^

Yayoi disse...

Ah, comigo aqui tbm acontece isso, tem vezes que a pessoa tá de pá virada e desconta na primeira que vê pela frente ¬¬ Acontece de freguês me tratar mal e depois bem, é complicado, lidar com público é muito complicado. Tem que ter muita força pra aguentar o tranco =_=

Ah se fosse comigo eu ia acabar ficando irritada porque eu dificilmente tomo remédio mesmo precisando xD