11 de ago de 2011

Buh!

Faz tempo que não posto aqui... não tenho tido saco ou vamos colocar assim.. vontade.

Sei lá, me sinto esquisita, sabe? Não tenho mais vontade de fazer as coisas de antes, não ando com "cabeça", por assim dizer.
Parei até de traduzir pro Thai Music Brazil, me sinto um horror por não estar ajudando em nada no Lollipop, descobri teeempos depois que o MIC lançou clipe/música nova, não tenho nem vontade mais de comer! Já devo ter emagrecido uns bons cinco quilos ou mais nessa brincadeira toda. Minhas roupas estão super largas, as calças estão caindo.. mas é sério, ontem eu saí com a Majory e pedi oito nuggets no Burguer King. Não cheguei no final da segunda e estava lotada. Refrigerante, quando tomo [tem isso também], a parada só falta ferver de tão quente que fica, de tanto que enrolo. Meu sono está alterado, tudo [e quando digo 'tudo' é tudo] está alterado...

Tô me agarrando a qualquer coisa que vá me melhorar, seja curso ou até mesmo sair com os meninos para a Lapa [veja bem a gravidade da situação: eu, minha pessoa, indo para a Lapa!].
Não tenho mais vontade de lutar por ele, por eles, por ninguém nem nada. Meu nível de forçar tá mais alto do que nunca, isso me preocupa. Mas engraçado, eu não me sinto triste o tempo inteiro. E não é ironia ou sarcasmo, sério. Eu tenho meus períodos bons e ruins, mas isso continua estático.

Meus pais estão furiosos comigo por umas coisas que aconteceram e até umas duas semanas atrás, eu abaixaria a cabeça, iria chorar e me sentir culpada, mas nem isso mais. Mas não condeno eles, porque por mais "whatever" que eu esteja, eu também ando meio furiosa comigo. A coisa mais bizonha disso tudo é que eu não sei por quê.

Estou cogitando ser esse marasmo. Sei lá, o Pudim [sim, ele é meu melhor amigo e é a única pessoa, querendo ou não, que eu me sinto segura em correr quando estou me sentindo por baixo ou em altos níveis de felicidade] disse que talvez possa ser estresse. Cogito isso também.
Estresse causa alterações em muitas coisas e acho que isso aliado ao meu pequeno problema de saúde [a.k.a anemia], virou essa bolinha de neve, porque se tem algo que anda acontecendo muito comigo, nos últimos tempos, são desmaios. E têm ficado cada vez mais frequente e quando acontece, não é só uma vez. Meu maior medo está sendo sair na rua e desmaiar.

Ontem, passei na casa da Majory e maloquei as apostilas de Gramática e Geografia [iam mofar na casa dela, já que é uma professora de matemática e um professor de física/estudante de GeoFísica morando lá]. Hoje fui tentar resolver a de Segundo ano de Geografia e lembrei porque odeio tanto o México: é muito chato estudar isso! Peguei a de Gramática e estou marcando as questões que não entendo; está quase tudo marcado!

Cara, o que está acontecendo comigo!? Eu nunca marquei mais do que três questões de Geografia e já tem umas dez aqui! Eu não consigo mais focalizar minha mente em algo que eu queira e não consigo mais comer! Minhas roupas estão dois números maiores, eu sei que tenho que comer mas não consigo! Não desce! Ele já reclamou que sempre que me abraça, sente falta de apertar minhas gordurinhas. Eles disseram que sempre que olham pra mim levam um susto do quão magra eu estou!

Já parei pra pensar nisso umas vinte vezes, inclusive Terça saí pra fazer exatamente isso. Fui na praia, sentei numa sombra [sim, eu consegui uma \o/] e tentei pensar na minha vida. Certo que muita besteira se passou pela minha cabeça e outras tantas prefiro nem comentar, mas mesmo assim, peguei meu caderno e tentei traçar as minhas metas e sonhos. Coisas como "Parar de tomar refrigerante" são tão ridículas que até agora fico pensando se escrevi isso mesmo.

Nesses momentos que eu admiro meu primo André. Ele sempre foi muito, muito focado nas coisas que ele queria e aí está ele, daqui a três meses partindo para a Ucrânia (isso mesmo, Ucrânia!), convidado a trabalhar lá por seis meses. Ele tem uma namorada apaixonante (e eu que sou altamente ciumenta com as namoradas dos meus primos!) e não duvido que antes ou depois disso eles casem. Sabe, ele quis isso e conseguiu isso. Parece que ele sabia a reta a qual seguir. E eu tô perdida nesse monte de viela, sem saber qual delas eu não estabaco na parede.

Tô dando graças a Deus que amanhã é sexta...

0 comentários: