6 de jul de 2010

Kiss Kiss Bang Bang



Às vezes me pergunto se existem coisas que não devem ser ditas. Como fala o Amber Pacific ("somethings are better left unsaid") e o McFly (não lembro qual música). Por mais que doa certas pessoas, é bom falar o que está maltratando. O ruim mesmo é quando essas pessoas não estão acostumadas a ouvir de você isso, e, quando você fala, leva um susto tão grande que parece que você chegou com a faca e o facão perto e colocou na parede, pronta pra cravar os objetos pontiagudos e dar os pedaços para os lobos famintos de Crepúsculo.

Bueno, eu não vou me estender no assunto porque eu já estou de saco cheio dele. Só quero deixar avisado que, quem lê o blog, não é obrigado, e, assim como eu sou muito dócil e amável, posso ser também muito dura. E que talvez doa mesmo quando resolvo falar do que me dói, porque nem todo mundo é o cordeiro que aparenta ser.
Posso ter sido grossa, insensível e dura. Mas se doeu em você, bom, só lamento, se a carapuça serviu, o mínimo que posso fazer é te estender alguns curativos. Só devolvo o que me mandam, dito isso, que mais posso fazer? Dizer que é coisa da sua cabeça?


Amizade pra mim consiste de confiança e de bem estar. Certo que todas as vezes que arranjo uma amizade têm umas briguinhas, mas que amizades não tem?
É você saber que pode rir e pode chorar com aquela pessoa, que você sabe que vai te aconselhar tanto para o bem quanto para o mal. Que te diz na sua cara o que você fez de errado e onde você pode incrementar pra se tornar um ser humano melhor.
É saber que você pode ligar de madrugada, que ela vai te xingar de todos os nomes do mundo, mas vai te perguntar o que houve e, a depender da situação, vai arranjar um jeito de te socorrer.

Tem certas pessoas que acham que ficar magoado, chateado ou o que valha funciona quando você fica calado. Que você deve guardar pra si o que está sentindo e é assim que a banda toca. Que quanto menos pensar, melhor.
Daí te pergunto, não é melhor dizer, para sua amiga, o que você está sentindo pra que ela possa te ajudar? Ou é melhor que ela diga "bom, acho que você é errada nisso nisso e nisso e você sempre diz que vai mudar e não muda". Se eu fosse mudar sempre pra agradar os outros, eu acabaria me perdendo.

Tem certas pessoas que acham que estou fazendo isso por maldade, de propósito. Mas não estou. Me achando grossa e o escambal, será que eu mudei? Não creio. Se adotei essa postura foi pra me proteger, porque eu já cansei de ser chamada de ciumenta e de ter o que eu sinto nomeado como "isso não é ciúme?" ou "é coisa da sua cabeça".

0 comentários: